---

Artigo: NUTRIÇÃO

Dr. Jorge Bastos Garcia

KRAUSE define nutrição como a combinação de processos através dos quais os organismos vivos recebem e utilizam os materiais (alimentos) necessários à manutenção de suas funções e ao crescimento e renovação dos seus constituintes.

KING, define nutrição como a ciência do alimento, dos nutrientes e de outras substâncias nele contidas, sua ação, inter-relação e balanço, em relação à saúde e à doença e aos processos pelos quais o organismo ingere, absorve, transporta, utiliza e excreta as substâncias alimentares.

De acordo com os processos que se cumprem nas células, a nutrição, no organismo, não é uma função, mas a resultante do conjunto de funções harmônicas e solidárias entre si que tem por objetivo manter a integridade normal da matéria e assegurar a vida. É involuntária e inconsciente e abrange toda uma série de processos que se realizam independentemente da vontade do indivíduo.

Subdivide-se em:

  1. metabolismo ou permutação de matéria e energia que começa a partir do instante em que os nutrientes são absorvidos até o momento em que o organismo os utiliza como fonte de energia, para construir materiais construtivos das células ou para depositá-los sob a forma de reservas.
  2. Excreção que compreende a eliminação ao exterior de parte utilizada e da não utilizada. Esta eliminação é efetuada pelos tubo digestivo, os rins, a pele e os pulmões.

Alimentação ou fornecimento da matéria, que compreende desde o momento em que se elege um alimento até que este é absorvido pelas vilosidades intestinais. É um processo voluntário e consciente pelo qual o ser humano obtém produto para seu consumo. Assim, alimentação é a ação de receber ou proporcionar alimentos, para a posterior ingestão. O termo alimento significa o material que o organismo recebe para satisfazer suas necessidades de manutenção, crescimento, trabalho e restauração dos tecidos. É todo material nutritivo que o homem consome em qualquer estado físico. Os alimentos são constituídos por substâncias químicas denominadas nutrientes, que são os seguintes: as proteínas, as gorduras, os carboidratos (macronutrientes), os elementos minerais, as vitaminas e a água.

Em tratamento de pacientes obesos, onde existe um acúmulo de gordura em excesso no corpo, provocando o que chamamos de obesidade, o tratamento da redução deste acúmulo baseia-se sempre na presença destes macronutrientes nos alimentos que utilizamos na alimentação, nas seis refeições que vamos indicar. Preservando uma perfeita nutrição do corpo.

Os macronutrientes dos alimentos de uma refeição alimentar, durante o tratamento de obesidade, nunca devem ultrapassar o percentual de 40 a 50% para os carboidratos e de 25 a 30 % para proteínas e gorduras. E esta distribuição, ainda deverá observar em que perfil se encontra o paciente obeso, às reações de insulina, frente aos carboidratos. Se for um paciente que apresente geneticamente reação normal, 50% das pessoas. Mantenha a faixa de 40 à 50% de carboidratos, na composição da refeição. Se for um paciente, que se situa na faixa de 25% das pessoas, que tem geneticamente, reação insulinica alta frente aos carboidratos. Nunca ultrapasse os 40% de carboidratos. Com as pessoas que tem geneticamente, reações leve a insulina frente aos carboidratos, não se preocupe. Elas não necessitam de tratamento de obesidade. E não apresentarão acúmulos de gordura no corpo. São aquelas que comem de tudo e não engordam.

Porque isso tem que ser respeitado? Por que, o antagonismo entre a insulina e o glucagom assim necessitam ,para a sua perfeita ação.


[ Voltar à PÁGINA DA REVISTA VIRTUAL ]

Página criada em 14-out-1996 - Atualizada em

Copyright © NetService 1996
Rio de Janeiro - Brasil